Pastoreio #34

Os sofrimentos.

Começaremos a escrita desse pastoreio ressaltando que a proposta de Jesus para os do Caminho, os seus discípulos ou seguidores nunca foi de uma vida de estrelato, conforto, de riqueza ou ostentação. Seguir a Jesus implica em ser perseguido, passar por aflições e adversidades que embasaremos a seguir nos textos bíblicos.

Os interesses desta vida não estão acima do interesse maior, a salvação da nossa alma. Quem vem para o evangelho unicamente por estabilidade econômica, financeira e patrimonial, equivoca-se.

Lucas 9.58
E disse-lhe Jesus: As raposas têm covis, e as aves do céu, ninhos, mas o Filho do homem não tem onde reclinar a cabeça. (Bíblia utilizada: Almeida Corrigida e Revisada Fiel)

Seja no tempo presente ou no que está por vir sobre o mundo, o evangelho não promete para os cristãos popularidade, fama, status, pelo contrário, por amor a Jesus somos e seremos odiados e perseguidos na terra.

Lucas 9.23-27
Falou também do que os aguardava: “Quem quiser seguir-me tem de aceitar a minha liderança. Quem está na garupa não pega na rédea. Eu estou no comando. Não fujam do sofrimento. Abracem-no. Sigam-me, e mostrarei a vocês como agir. Autoajuda não é ajuda, de jeito nenhum. O autossacrifício é o caminho – o meu caminho – para que vocês descubram sua verdadeira identidade. Qual é a vantagem de conquistar tudo que se deseja, mas perder a si mesmo? Se algum de vocês tiver vergonha de mim e do caminho pelo qual os conduzo, o Filho do Homem irá envergonhar-se de vocês quando voltar em sua glória com o Pai e os santos anjos. Entendam que não é pouca coisa. Alguns de vocês aqui verão tudo isto acontecer: verão o Reino de Deus com os próprios olhos”.
Fonte: Bíblia de Estudo – A Mensagem – Editora Vida.

A proposta para seguir Jesus não contempla os anseios carnais, na verdade seguir a Ele nos leva a passar por sofrimentos, situações incômodas.

…”Quem espera glória, ouro ou prata com o evangelho não entendeu o ato da cruz.”

Síntese dos sofrimentos e adversidades enfrentados pelo apóstolo Paulo.

Atos 21 > Paulo viaja para Jerusalém, apesar das profecias de que seria aprisionado e a despeito dos pedidos dos amigos para que não coloque a sua vida em risco indo para lá. De fato, em Jerusalém Paulo é preso e levado perante o comandante romano.

Atos 22 > Paulo discursa à furiosa multidão, mas não consegue aplacá-la. O comandante romano dá ordens para açoitar Paulo, mas desiste quando descobre que ele é cidadão romano.

Atos 23 > Paulo fala ao Sinédrio. Ele sabiamente tira o foco da atenção de sua pessoa, ao falar da ressurreição, que os fariseus abraçam e que os saduceus negam. O Senhor aparece a Paulo e lhe ordena que vá para Roma. Uma conspiração contra Paulo é frustrada por seu sobrinho.

Atos 24 > O governador romano Félix interroga Paulo e o mantém na prisão durante dois anos.

Atos 25 > Paulo dá testemunho perante Pôncio Festo – governador substituto de Félix – e Herodes Agripa.

Atos 26 > Paulo fala ao rei Agripa.

Atos 27 > Paulo naufraga a caminho de Roma.

Atos 28 > Paulo e os outros que estavam a bordo do navio condenado são tratados com bondade pelos nativos. Paulo cura várias pessoas na ilha. Quando finalmente chega a Roma, Paulo prega aos líderes judeus de sua prisão, sem encontrar resistência.
Fonte: A Bíblia em Esboços, Harold Willmington, Ed. Hagnos.

A vida do apóstolo Paulo não foi fácil, ora sendo caluniado, ora sendo perseguido e maltratado ele não desistiu do seu chamado. O que nós faremos se passarmos por perseguições tão ferozes como o apóstolo passou?

Atos 21
20 E, ouvindo-o eles, glorificaram ao Senhor, e disseram-lhe: Bem vês, irmão, quantos milhares de judeus há que crêem, e todos são zeladores da lei.
21 E já acerca de ti foram informados de que ensinas todos os judeus que estão entre os gentios a apartarem-se de Moisés, dizendo que não devem circuncidar seus filhos, nem andar segundo o costume da lei.
22 Que faremos pois? em todo o caso é necessário que a multidão se ajunte; porque terão ouvido que já és vindo.
30 E alvoroçou-se toda a cidade, e houve grande concurso de povo; e, pegando Paulo, o arrastaram para fora do templo, e logo as portas se fecharam.
31 E, procurando eles matá-lo, chegou ao tribuno da coorte o aviso de que Jerusalém estava toda em confusão;
32 O qual, tomando logo consigo soldados e centuriões, correu para eles. E, quando viram o tribuno e os soldados, cessaram de ferir a Paulo.
33 Então, aproximando-se o tribuno, o prendeu e o mandou atar com duas cadeias, e lhe perguntou quem era e o que tinha feito.
34 E na multidão uns clamavam de uma maneira, outros de outra; mas, como nada podia saber ao certo, por causa do alvoroço, mandou conduzi-lo para a fortaleza.
35 E sucedeu que, chegando às escadas, os soldados tiveram de lhe pegar por causa da violência da multidão.
36 Porque a multidão do povo o seguia, clamando: Mata-o!
(Bíblia utilizada: Almeida Corrigida e Revisada Fiel)

…Quanto sofrimento estamos dispostos a suportar por amor a Jesus?

Vivemos em uma época em que há pouca resistência nos cristãos, nós não suportamos uns aos outros, quanto mais ser perseguidos ou apanhar por pregar a palavra de Deus. Será que teríamos a fé e a resistência percebida em Paulo? Quantos deixam as suas congregações pelos mais variados motivos. O apóstolo corria risco de vida por cumprir a missão recebida do Senhor.

Atos 22
19 E eu disse: Senhor, eles bem sabem que eu lançava na prisão e açoitava nas sinagogas os que criam em ti.
20 E quando o sangue de Estêvão, tua testemunha, se derramava, também eu estava presente, e consentia na sua morte, e guardava as capas dos que o matavam.
21 E disse-me: Vai, porque hei de enviar-te aos gentios de longe.
22 E ouviram-no até esta palavra, e levantaram a voz, dizendo: Tira da terra um tal homem, porque não convém que viva.
23 E, clamando eles, e arrojando de si as vestes, e lançando pó para o ar,
24 O tribuno mandou que o levassem para a fortaleza, dizendo que o examinassem com açoites, para saber por que causa assim clamavam contra ele.
25 E, quando o estavam atando com correias, disse Paulo ao centurião que ali estava: É-vos lícito açoitar um romano, sem ser condenado?
26 E, ouvindo isto, o centurião foi, e anunciou ao tribuno, dizendo: Vê o que vais fazer, porque este homem é romano.
(Bíblia utilizada: Almeida Corrigida e Revisada Fiel)

O pregador do evangelho apanhou na boca, essa foi a ordem dada pelo sumo sacerdote Ananias. As humilhações não foram motivos para Paulo deixar o Senhor ou abandonar a missão. Quais humilhações estamos dispostos a suportar pelo Senhor e pela missão?

Atos 23
01 E, pondo Paulo os olhos no conselho, disse: Homens irmãos, até ao dia de hoje tenho andado diante de Deus com toda a boa consciência.
02 Mas o sumo sacerdote, Ananias, mandou aos que estavam junto dele que o ferissem na boca.
10 E, havendo grande dissensão, o tribuno, temendo que Paulo fosse despedaçado por eles, mandou descer a soldadesca, para que o tirassem do meio deles, e o levassem para a fortaleza. (ACRF)
11 E na noite seguinte, apresentando-se-lhe o Senhor, disse: Paulo, tem ânimo; porque, como de mim testificaste em Jerusalém, assim importa que testifiques também em Roma.
12 E, quando já era dia, alguns dos judeus fizeram uma conspiração, e juraram, dizendo que não comeriam nem beberiam enquanto não matassem a Paulo.
13 E eram mais de quarenta os que fizeram esta conjuração.
(Bíblia utilizada: Almeida Corrigida e Revisada Fiel)
Precisamos pregar o evangelho de Cristo relatando todas as suas dificuldades, perdas e sofrimentos, entretanto ressaltando que a vida eterna por si é recompensa mais do que suficiente para os que crêem em Jesus.

Não podemos transformar o evangelho de Cristo em um “programa de benefícios”, não podemos fazer promessas de “pleno êxito” em tudo e com todos, essa pregação e entendimento é no mínimo anti-bíblica.

João 16.33
Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo.
(Bíblia utilizada: Almeida Corrigida e Revisada Fiel)

Penso que a teologia da prosperidade não é capaz de representar os ensinos e exemplos de Jesus, o padrão é outro, as falas do Mestre e o que Ele passou nos dá uma ideia do que espera os discípulos. Claro que pela misericórdia e poder de Deus os seus são socorridos, vencem, avançam e usufruem da graça do Eterno.

Mateus 10
22 E odiados de todos sereis por causa do meu nome; mas aquele que perseverar até ao fim, esse será salvo.
23 Quando pois vos perseguirem nesta cidade, fugi para outra; porque em verdade vos digo que não acabareis de percorrer as cidades de Israel sem que venha o Filho do homem.
24 Não é o discípulo mais do que o mestre, nem o servo mais do que o seu senhor.
25 Basta ao discípulo ser como seu mestre, e ao servo como seu senhor. Se chamaram Belzebu ao pai de família, quanto mais aos seus domésticos?
(Bíblia utilizada: Almeida Corrigida e Revisada Fiel)

Será que alguns de nós já passamos por alguma situação em que o socorro não chegou e nos sentimos abandonados por Deus. O projeto, o serviço e a nossa dedicação para o Senhor e em favor da sua igreja, mas ainda assim ficamos “presos”, parecendo que o Eterno não se importou conosco. Paulo permaneceu preso por dois anos por ser pregador do evangelho de Jesus, por fazer a vontade de Deus e mesmo assim não desanimou, não abandonou a sua fé, o Senhor e a pregação do evangelho.

Atos 24
24 E alguns dias depois, vindo Félix com sua mulher Drusila, que era judia, mandou chamar a Paulo, e ouviu-o acerca da fé em Cristo.
25 E, tratando ele da justiça, e da temperança, e do juízo vindouro, Félix, espavorido, respondeu: Por agora vai-te, e em tendo oportunidade te chamarei.
26 Esperando ao mesmo tempo que Paulo lhe desse dinheiro, para que o soltasse; pelo que também muitas vezes o mandava chamar, e falava com ele.
27 Mas, passados dois anos, Félix teve por sucessor a Pórcio Festo; e, querendo Félix comprazer aos judeus, deixou a Paulo preso.
(Bíblia utilizada: Almeida Corrigida e Revisada Fiel)

O entendimento de justiça de alguns está na sua própria força, entretanto a de Paulo estava inteiramente no Senhor. Os sinais da aprovação do Senhor nem sempre são como esperamos e entendemos.

Uma vez ouvi um pregador dizendo que “se a sua vida material não vai bem é sinal que Deus não está com você”, é o entendimento mais pobre biblicamente falando que eu já ouvi.

Sucesso, êxito ou prosperidade material não são sinônimos de aprovação e presença de Deus.

Mateus 7
21 Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus.
22 Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? E em teu nome não expulsamos demônios? E em teu nome não fizemos muitas maravilhas?
23 E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade. (Bíblia utilizada: Almeida Corrigida e Revisada Fiel)
Em Atos 27 e 28 os sofrimentos seguem na vida de Paulo, naufragando, sendo ofendido por uma serpente, entretanto Deus sempre deu o escape, o Senhor sempre está presente livrando os seus da morte ou chamando-os para Si. Seja como for, é necessário que tenhamos claro em nossa mente que não estamos “largados”, temos um Dono, um Senhor e que nos chamou para uma missão, mesmo com os sofrimentos, por Ele valeu, vale e valerá a pena seguir na fé e na carreira cristã.

 

 

2016 O Ano da Igreja
sendo uma igreja bíblica e relevante

Serviçal da Igreja
Ronildo Queiroz

Pastoreio #33
Pastoreio #35
Menu