Pastoreio #52

UNIDOS NO SERVIÇO

O tema serviço que abordaremos neste pastoreio deveria ser, na minha opinião, ensinado para todos os cristãos como prioridade. O servir ao reino de Deus não tem como objetivo a promoção pessoal, antes a de outrem, não tem nada a ver com receber elogios, mas se fazer o que é lição básica do cristianismo, amor ao próximo.

Os do Caminho, a Igreja, os Discípulos de Cristo não devem se embaraçar com as intenções e objetivos deste mundo hedonista, a autopromoção o estrelato e a pouca intenção de doar-se pelo próximo tem sido uma triste marca em nossa sociedade atual.

Infelizmente alguns cristãos tem seguido o modelo dessa sociedade egoísta, alguns estão mais interessados em sua própria “estrela”, em serem reconhecidos e aplaudidos pelas pessoas. Talvez alguns começaram bem a sua jornada com Cristo, mas ao longo do caminho se deixaram levar pelo seu ego, talvez pelo modo narcisista de ser, o problema nesses casos é que a obra de Deus pode estar sendo feita para dar conta das necessidades pessoais e não do reino, o que pode implicar em não estar fazendo o que Deus quer ou como Ele quer.

Como cristãos acredito que precisamos sempre estar sempre analisando as nossas motivações, nossos comportamentos precisam exceder a de meros religiosos que se enclausuram em seu “mundo”, alienando-se e não considerando o próximo. Sobre sermos aqueles que servem as pessoas, Jesus cita como exemplo a ação do samaritano (povo odiado pelos judeus), em relação aos vistos como “homens de Deus”, que não serviram aquele homem a beira do caminho. Jesus denunciou o desalinhamento entre o parecer e o fazer, entre o falar e o agir.

Lucas 10.30-37
30 Em resposta, disse Jesus: “Um homem descia de Jerusalém para Jericó, quando caiu nas mãos de assaltantes. Estes lhe tiraram as roupas, espancaram-no e se foram, deixando-o quase morto.
31 Aconteceu estar descendo pela mesma estrada um sacerdote. Quando viu o homem, passou pelo outro lado. 32 E assim também um levita; quando chegou ao lugar e o viu, passou pelo outro lado.
33 Mas um samaritano, estando de viagem, chegou onde se encontrava o homem e, quando o viu, teve piedade dele. 34 Aproximou-se, enfaixou-lhe as feridas, derramando nelas vinho e óleo. Depois colocou-o sobre o seu próprio animal, levou-o para uma hospedaria e cuidou dele. 35 No dia seguinte, deu dois denários ao hospedeiro e disse-lhe: ‘Cuide dele. Quando voltar lhe pagarei todas as despesas que você tiver’. 36 “Qual destes três você acha que foi o próximo do homem que caiu nas mãos dos assaltantes? “
37 “Aquele que teve misericórdia dele”, respondeu o perito na lei. Jesus lhe disse: “Vá e faça o mesmo”.
(Bíblia utilizada: NVI)

Em João 3.16, temos a informação do amor de Deus pelos seres humanos, de tal forma que não poupou seu Único Filho para morrer por nós, se dispôs a servir a todos com um sacrifício ímpar. O Senhor mesmo sabendo que nem todos os seres humanos o aceitaria como seu Salvador, simplesmente por amor serviu.

Que a exemplo de John Wesley (Metodista), possamos ter a mesma compreensão, “que o mundo seja a nossa paróquia”, ou seja, que os púlpitos dentro dos templos não sejam nossa maior meta, antes que em toda parte, em todo lugar e situação possamos sempre ser servos de Deus em prol do próximo, na pregação do evangelho e no estender das mãos.

Uma igreja que realmente serve, influencia e marca um bairro, uma cidade, um estado, um país e nações, talvez estejamos querendo ver as nações alcançadas em nossos templos limitados, quando deveriamos estar servindo no mundo, pois assim poderíamos ser sal da terra e luz do mundo.

1º Recorte – JESUS O EXEMPLO DE SERVO

Para os cristãos o modelo de serviçal ou daquele que serve, não poderia ter outra referência que não fosse Jesus, sem dúvidas Ele é o padrão a ser seguido. O Filho de Deus nos mostra como devemos nos comportar, que tipo de pensamento e sentimento precisamos ter como servos de Deus.

O apóstolo Paulo escrevendo a igreja que estava em Filipos, ressalta o comportamento de Cristo que deveria ser imitado, que deveria ser seguido pelos cristãos.

Filipenses 2.5-8
05 Seja a atitude de vocês a mesma de Cristo Jesus, 06 que, embora sendo Deus, não considerou que o ser igual a Deus era algo a que devia apegar-se; 07 mas esvaziou-se a si mesmo, vindo a ser servo, tornando-se semelhante aos homens. 08 E, sendo encontrado em forma humana, humilhou-se a si mesmo e foi obediente até à morte, e morte de cruz!
(Bíblia utilizada: NVI)

 

05 Que a atitude de vocês para com os outros seja governada pela união ao Messias Yeshua: 06 Apesar de ele viver na forma de Deus, não considerou a igualdade com Deus algo a ser mantido pela força.
07 Ao contrário, esvaziou a si mesmo, ao assumir a forma de um escravo, tornando-se como os seres humanos são. 08 E, quando ele surgiu como ser humano, humilhou-se ainda mais, tornando-se obediente até a morte, morte na estaca como um criminoso!
(Bíblia Judaíca Completa, traduzida por David H. Stern, Editora Vida)

Temos o claro exemplo do Criador se rebaixando para ser criatura, encarnado em um corpo mortal, sendo humano, sujeito as dores, prisões e sofrimentos, mesmo podendo destruir a todos os seres humanos decidiu amar e servir oferecendo a salvação à todos por intermédio do sacrifício na cruz. A glória continuava com Ele, mas escondida, brilhando em algumas ocasiões.

“Este autoesvaziamento de Cristo também nos dá a medida da sanidade e da santidade. Significa viver com o senso de realidade preservado, considerando-se como subordinado e dependente do Criador e em relações de igualdade e fraternidade com todos os humanos.”
Fonte: Nova Tradução na Linguagem de Hoje (NTLH), Bíblia de Estudo Conselheira, Novo Testamento, acolhimento-reflexão-graça. Sociedade Bíblica do Brasil.

Jesus nos constrange com imenso amor e humildade que possui e demonstra, fornece exemplo sólido de serviço em favor do próximo, não precisaria se importar ou fazer algo pelos seres humanos, mas Ele fez!

Até os próprios discípulos ficam anestesiados com o comportamento de Jesus, lançando mãos da toalha e da bacia, se dispôs a fazer o trabalho de servo da casa.

João 13.3-5
03 Jesus sabia que o Pai havia colocado todas as coisas debaixo do seu poder, e que viera de Deus e estava voltando para Deus; 04 assim, levantou-se da mesa, tirou sua capa e colocou uma toalha em volta da cintura. 05 Depois disso, derramou água numa bacia e começou a lavar os pés dos seus discípulos, enxugando-os com a toalha que estava em sua cintura.
(Bíblia utilizada: NVI)

William MacDonald escreve sobre “esvaziou-se a si mesmo (Fp.2.7)” que:

“Ele pôs à parte seu resplendor divino, E escondeu sua divindade com um véu de barro, E foi nesse traje que manifestou seu maravilhoso amor, restaurando o que ele nunca tirou.”
Fonte: Comentário Bíblico Popular, versículo por versículo, Novo Testamento. William MacDonald. Editora Mundo Cristão, p. 663.

Ponto de Contato >>>

QUEM A IGREJA TEM TIDO COMO EXEMPLO?

Argumentação >

Nós cristãos somos fruto do amor de Deus, amor esse que fez com Ele enviasse o seu Único Filho por nós, Cristo deixou a glória para em forma de carne habitar dentre nós. Em João 10.7-15, temos um Bom Pastor que dá a vida pelas ovelhas, que trabalha em favor delas para que tenham boa pastagem, para que bebam água e sejam guardadas dos lobos, guiadas por caminhos seguros.

Quem consegue como Jesus ser poderoso e agir como mais um sem poder, quem consegue se importar como o Mestre se importa?

Jesus não se exaltava, antes remetia a glorificação ao Pai, Ele não mandava fazerem a propaganda da cura, em uma linguagem popular, ele não tinha como objetivo se exibir, não era narcisista ou egocêntrico.

Marcos 1.40-44
40 Um leproso aproximou-se dele e suplicou-lhe de joelhos: “Se quiseres, podes purificar-me! “ 41 Cheio de compaixão, Jesus estendeu a mão, tocou nele e disse: “Quero. Seja purificado! “ 42 Imediatamente a lepra o deixou, e ele foi purificado. 43 Em seguida Jesus o despediu, com uma severa advertência:
44 “Olhe, não conte isso a ninguém. Mas vá mostrar-se ao sacerdote e ofereça pela sua purificação os sacrifícios que Moisés ordenou, para que sirva de testemunho”.
(Bíblia utilizada: NVI)

Toda liderança que deseja ser servida ao invés de servir, não aprendeu com Jesus e não reflete o exemplo que deve ser seguido por todos os cristãos, ou seja, o de imitar a Cristo. O próprio Senhor Jesus deixa claro qual era a sua missão: Mateus 20.28 “como o Filho do homem, que não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos”.

O ensino de Jesus é claro e poderoso, na ótica secular é rebaixador lavar e secar os pés (cultura do Oriente) de outras pessoas, na ótica do reino de Deus é grandioso, o que era classificado como menor e rebaixado, para Deus seria o maior. Em João 13.04, Jesus tira a vestimenta de cima, tomou a toalha, bacia e água, para servir como qualquer outro escravo, essa foi a sua divisa, eu vim para servir, deveria também ser a nossa, estamos aqui para servir.

Alguns cristãos ainda se preocupam em imitarem os estereótipos, os chavões, as frases de efeito, em ter a mesma tonalidade da voz, bem como reproduzirem o comportamento orgulhoso, prepotente e arrogante de seus ídolos, de alguns que se intitulam “ministros” de Deus, mas que não passam de uma peça teatral, criada, encenada sem vida real segundo o ensino de Jesus.

Penso que um bom conselho seria o de rever nossas intenções e prestarmos atenção ao nosso comportamento, talvez alguns de nós tenhamos que fazer ajustes (discipulado) para nos enquadrarmos ao modelo de Jesus.

2º Recorte – SENDO SERVIÇAIS DO REINO

Pensando em quem éramos antes de conhecermos a Jesus, provavelmente nos depararemos com algumas intenções e comportamentos que nos faça sentir vergonha de nós mesmos.

Com o conhecimento da palavra de Deus, nossas intenções e comportamentos certamente foram consolidados ou desconstruídos, é certo que antes de termos a Cristo não tínhamos esse modelo ou referencial Santo, mas a partir do seu exemplo podemos nos esforçar para ser e fazer como Jesus foi e fez.

Somos todos diáconos, servos do Senhor, e como tal servimos cuidando de algo que não é nosso, mas de Deus, o rebanho, a palavra e os propósitos são Dele.

O termo diakonos, de onde vem diackonia, o mesmo que serviço, ministério. Essas palavras, no sentido original, estavam sempre voltadas para a idéia de serviço, de servir (Lc 10.40; 17.8; 22.27; At 6.2).
Fonte: https://pastoreliasribas.blogspot.com/2013/11/o-que-significa-o-termo-ministro.html

Filipenses 2.1-4
01 Se por estarmos em Cristo, nós temos alguma motivação, alguma exortação de amor, alguma comunhão no Espírito, alguma profunda afeição e compaixão, 02 completem a minha alegria, tendo o mesmo modo de pensar, o mesmo amor, um só espírito e uma só atitude. 03 Nada façam por ambição egoísta ou por vaidade, mas humildemente considerem os outros superiores a si mesmos 04 Cada um cuide, não somente dos seus interesses, mas também dos interesses dos outros.
(Bíblia utilizada: NVI)

Os que são servos não podem permitir em suas vidas (intenções e comportamentos) a proliferação da inveja, egoísmo, ser o número 1, se vangloriar e fazer de tudo para se exibir, para ser visto, nossas prioridades são outras.

“[…] quando uma pessoa se vê ou pretende que outros a tratem como se fosse muito importante e superior aos demais, pode ocorrer um tipo de transtorno mental e distorção de personalidade. Em casos mais graves temos delírios e autorreferência (que colocam a si próprio no papel-chave para tudo), encontrados em sociopatas, certos políticos, ditadores sanguinolentos e figuras excessivamente narcisistas, isto é que idolatram a si mesmos.”
Fonte: Nova Tradução na Linguagem de Hoje (NTLH), Bíblia de Estudo Conselheira, Novo Testamento, acolhimento-reflexão-graça. Sociedade Bíblica do Brasil, p. 426.

No contexto da ceia, os discípulos de Jesus revelam a natureza humana e pecaminosa, os corações deles estavam impregnados de intenções bem distantes das propostas do reino de Deus. Não se trata de quem é o maior ou melhor, mas de quem está disposto a servir.

Em (Lc. 22.25) os reis eram chamados de benfeitores, porém William MacDonald comenta que : * “Os reis que dominaram sobre os gentios eram geralmente considerados grandes pessoas; de fato, foram chamados “benfeitores”. Mas era somente um título, pois eram déspotas cruéis. Eles tinham o nome associado à bondade, mas não as características pessoais à altura.”
Fonte: Comentário Bíblico Popular, versículo por versículo, Novo Testamento. William MacDonald. Editora Mundo Cristão, p. 223.

Lucas 2.24-27
24 Surgiu também uma discussão entre eles, acerca de qual deles era considerado o maior. 25 Jesus lhes disse: “Os reis das nações dominam sobre elas; e os que exercem autoridade sobre elas são chamados benfeitores. 26 Mas, vocês não serão assim. Pelo contrário, o maior entre vocês deverá ser como o mais jovem, e aquele que governa como o que serve. 27 Pois quem é maior: o que está à mesa, ou o que serve? Não é o que está à mesa? Mas eu estou entre vocês como quem serve.
(Bíblia utilizada: NVI)

Ponto de Contato >>>

O QUE É SER SERVO?

Argumentação >

Para alguns servir ao reino de Deus está ligado a ter um cargo, a ser reconhecido por uma denominação e só então se dispor a fazer algo em favor de outrem. Algumas denominações favorecem o entendimento e de certo modo incentivam, um entendimento carreirista e hierárquico, gerando uma corrida frenética entre os crentes por cargos e posições, nos tornamos competidores entre nós mesmos.

Precisamos tomar cuidado para não nos vangloriarmos de sermos ministros de Deus, esse termo na interpretação de alguns passou a valorizar ou dar exagerada importância a pessoa que o possui, quando na verdade deveriamos dar e reconhecer toda e qualquer glória ou importância ao Senhor que nos chama e capacita.

Em 1 Coríntios 4.01 “Assim, pois, importa que os homens nos considerem como ministros de Cristo e despenseiros dos mistérios de Deus.”, o apóstolo usa o termo grego “hupéretas”, para a palavra ministros, que refere-se a um subordinado ou empregado e não patrão.

A palavra grega “huperetes”, refere-se a “remador [da fileira] de baixo”, nem se quer lembra posição de destaque, mas de trabalhador escravo que trabalhava na parte inferior do navio com outros escravos, remando, servindo de força motora para a locomoção da embarcação. Um servo, no grego “doulos”, não age segundo a sua própria vontade, antes é totalmente dependente das ordens do seu senhor, “é usado como substantivo, e na função de palavra mais comum e geral para se referir a “servo”, indicando frequentemente sujeição sem a ideia de escravidão, é usado para falar de: condições naturais, metaforicamente das condições espirituais, morais e éticas.
Fonte: Dicionário Vine, o significado exegético e expositivo das palavras do Antigo e Do Novo Testamento, Editora CPAD, p. 791 e 991.

“Há uma diferença abismal entre as palavras “ministro” e “mestre”. “Mestre” vem de uma palavra da língua latina, magister, de onde procedem, ainda, “magistério”, “magistrado”, designando alguém que era procurado por ter “algo a mais (magis)”. Era que tinha com que contribuir. “Ministro” vem de minister, procedente de minus, alguém que tem “algo de menos”, o servo, diácono, servidor, serviçal, auxiliar, ajudante.”
Fonte: https://pastoreliasribas.blogspot.com/2013/11/o-que-significa-o-termo-ministro.html

Para ser servo precisamos ter conhecimento dos ensinamentos de Jesus, somente assim poderemos servir sem nos embaraçar com as intenções e comportamentos deste mundo.

Penso que é preciso nos perguntar o porque fazemos, em Lucas 22.24-30, a disputa entre os discípulos em torno do poder assemelha-se a disputa entre os políticos e os religiosos que brigam pelo seu público, pela sua fatia, pelo seu status, definitivamente neste momento servir segundo a vontade de Deus não era o foco.

O servo de Deus é aquele que produz sem esperar reconhecimento humano, pois sabe que para o Senhor não é em vão o seu fazer (1 Co. 15.58), é aquele que mesmo sem ter patentes ou cargos compreende que sua atuação é importante para o reino.
Servir a Deus tem a ver com entrega e alegria, com o fazer por ser grato ao que Jesus já nos proporcionou, a salvação, tem nexo a partir do momento em que faço por amor, não por interesses sejam eles quais forem.

O servo a exemplo de Jesus deve observar > ( Filipenses 2. 03 Nada façam por ambição egoísta ou por vaidade, mas humildemente considerem os outros superiores a si mesmos.), não cede a suas tentações ou carências emocionais, mas faz pelo motivo certo, por Cristo, pelo reino, por amor a Deus. Não entra em disputa com irmãos ou irmãs de fé, antes, mesmo tendo maior conhecimento ou capacidade, comporta-se considerando os outros superiores a si mesmo.

Para se pensar…

Provavelmente ficou algo a ser abordado ou esgotado sobre como ser servo ou como servir de modo bíblico, entretanto me dou por satisfeito se nós conseguirmos refletir e mudar algo em nosso comportamento, a partir dos pontos que abordamos acima.
Acredito que quem pede honra não entendeu o evangelho, e também não será honrado pelo Único que pode honrar, Deus, pois em nenhuma parte do Novo Testamento encontro Jesus se exaltando ou se exibindo, fazendo propaganda dos milagres que realizava.

Os que querem ser grandes devem se colocar como o menor, os que lideram devem ser humildes, servindo aos outros. De modo geral o servo deve, suportar uns aos outros, ajudar a todos, mesmo os que não tem empatia, não colocando o próprio interesse acima dos interesses do reino de Deus.

 

2018 – O Ano da Unidade
sendo uma igreja bíblica e relevante

Pastor Ronildo Queiroz
“sou mais um” caco entre outros cacos de barro! Isaías 45.9

1 Comentário. Deixe novo

Sidney Luciano de Paula
26/11/2018 17:54

Eu me lembro que na minha Juventude,meu Pastor sempre nos dizia que,não se faz um pastor,não se faz um obreiro,um diácono e etc.
Na verdade,o Cristão nasce Um Pastor,ela nasce um Diácono,um Evangelista,um Pastor,Ou seja,ele cresce com esse chamado,e eu acredito muito nisso.
Acredito que muitos Irmãos em cristo,desde do principio já nascem com um sentimento de servi,ainda que a principio esteja servindo de um jeito,de uma forma muitas das vezes equivocadas,mas ao decorrer da caminhada vai se aperfeiçoando.
A esses,acredito que verdadeiramente consegue exercer sua chamada de uma forma verdadeira,sem ter na mente algo obrigatório ou uma forma de alcançar cargos para o seu própio deleite.
Sendo assim,consegue fazer para que o reino de DEUS,seja prospero,seja algo que venha ter frutos para o reino Do Nosso SENHOR.

Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fill out this field
Fill out this field
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu