Setembro Amarelo: Prevenção ao Suicídio

Setembro Amarelo: Prevenção ao Suicídio

NENHUM SER HUMANO QUER MORRER, NEM MESMO O TENTANTE AO SUICÍDIO. PROCURAR A MORTE É A ÚLTIMA FORMA QUE ELE ACHOU DE PEDIR SOCORRO. CABE A NÓS ENQUANTO IGREJA E SOCIEDADE ESCUTAR E AJUDAR.

Este é o mês da Conscientização sobre a importância da Prevenção do Suicídio “Setembro Amarelo”, vimos a necessidade de falarmos a respeito deste assunto como forma de chamarmos a atenção das pessoas para saber lidar, e assim poder Agir e também Prevenir que alguém do seu convívio familiar ou do seu círculo de amizade possa cometer tal ato .

O suicídio é um tema bem complexo e com multifacetas, que pode afetar indivíduos de diferentes idades, origens e classes sociais. Acredito que saber reconhecer os sinais de alerta que as pessoas demonstram pode ser o primeiro e o mais importante passo para a prevenção.

Fique atento, se a pessoa demonstra comportamento suicida procure ajudá-la sem julgamentos. Vai algumas dicas!!!!

Sinais de alerta a serem observados:

Não há uma receita, mas quando o indivíduo está vivendo momentos de muito sofrimento e dor ele pode dar certos sinais, que devem ser observados pelos familiares e amigos próximos, podendo se manifestar de algumas maneiras tais como:

  • O aparecimento ou agravamento de problemas de conduta ou de manifestações verbais durante pelo menos duas semanas.

Essas manifestações não devem ser interpretadas como ameaças nem como chantagens emocionais, mas sim como avisos de alerta para um risco real.

  • Preocupação com sua própria morte ou falta de esperança.

As pessoas sob risco de suicídio costumam falar sobre morte e suicídio mais do que o comum, confessam se sentir sem esperanças, culpadas, com falta de autoestima e têm visão negativa de sua vida e futuro. Essas ideias podem estar expressas de forma escrita, verbal ou por meio de desenhos.

  • Expressão de ideias ou de intenções suicidas.

Fiquem atentos para os comentários abaixo. Pode parecer óbvio, mas muitas vezes são ignorados:

“Vou desaparecer.”
“Vou deixar vocês em paz.”
“Eu queria poder dormir e nunca mais acordar.”
“É inútil tentar fazer algo para mudar, eu só quero me matar.”


Isolamento

As pessoas com pensamentos suicidas podem se isolar, não atendendo a telefonemas, interagindo menos nas redes sociais, ficando em casa ou fechadas em seus quartos, reduzindo ou cancelando todas as atividades sociais, principalmente aquelas que costumavam e gostavam de fazer.

 

IMPORTANTE
Pensamentos e sentimentos de querer acabar com a própria vida podem ser insuportáveis e pode ser muito difícil saber o que fazer e como superar esses sentimentos, mas existe ajuda disponível. É muito importante conversar com alguém que você confie. Não hesite em pedir ajuda, você pode precisar de alguém que te acompanhe e te auxilie a entrar em contato com os serviços de suporte e/ou profissional da área da saúde.

 

Fonte: Ministério da Saúde/dados e serviços

#somosumasoicpbb

 

Luciana Bachega
Psicóloga CDFP
CRP: 06/68176

 

Volte para a página do CDFP

 

Menu