Dia da Conscientização do Autismo

Dia da Conscientização do Autismo

O Transtorno do Espectro Autista (TEA) ou Autismo é um assunto que se tornou mais conhecido nos últimos anos. Atualmente muitas pessoas conhecem ou até mesmo são familiares de alguma pessoa com TEA, pois, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), estima-se que a cada 88 pessoas, uma tenha traços de Autismo, sendo que em sua maioria são do sexo masculino. (é muita gente!)

Acredito que hoje conseguimos entender melhor que somos pessoas diferentes com características únicas e com dificuldades a serem enfrentadas e vencidas. Em pessoas com TEA não é diferente.

Cada pessoa é única e ao mesmo tempo tem algo de comum: somos humanos!

Sim. Entendo. Mas o que de fato quer dizer ser uma pessoa com TEA?

O TEA é um transtorno do desenvolvimento e não uma doença, ou seja, não é transmissível pelo contato físico e não tem cura. É caracterizado por dificuldades que uma pessoa tem na linguagem/interação social (manter uma conversa clara; perceber expressões faciais; buscar interagir com outras crianças; manter o contato visual quando chamada) e no comportamento (tem movimentos repetitivos sem objetivo aparente; preferências restritas – por poucas coisas).

Os sinais do TEA são observáveis já desde cedo, antes dos três anos de idade. Então, pais ou cuidadores, fiquem atentos quando:

– A criança não olhar ao ouvir um barulho ou ser chamada pelo nome;

– A criança não tenta explorar brinquedos ou objetos que tenha contato;

– A(o) professora(o) levantar suspeita de algo diferente no desenvolvimento da criança;

– A criança não quiser/aceitar brincar com outras crianças (não confunda com a criança não quer dividir o brinquedo).

Nossa, meu filho faz isso; ele é autista!… Calma, isso não é suficiente para ter certeza que ele está dentro do TEA. É muito importante que você, pai, cuidador ou responsável pela criança, busque por um profissional (médico neurologista, neuropsiquiatria, psiquiatra) para avaliar.

O TEA ainda não tem uma causa determinada; não é fácil dizer se alguém está dentro do TEA ou não. Então não fique irritado com seu médico se não te dizer de imediato, mas busque por uma posição médica sim, até porque o quanto antes uma pessoa começa um tratamento adequado para o TEA, maior as possibilidades de melhora/evolução e adaptação.

Neste dia da Conscientização do Autismo é importante que se entenda: todos precisamos de alguém; todos somos diferentes, mas temos os mesmos diretos; todos somos capazes de aprender e crescer. Então se conhece alguém com TEA, ajude-o, tenha paciência, aprenda com ele(a), entenda que ele tem limitações como você, mas nunca o subestime!

 

 

Volte para a página do CDFP

 

Menu