#Orientação Pastoral 18 – Faça o que eu mando e não o que eu faço

À
Igreja Pentecostal da Bíblia
A/C. Pastor ou Pastora

A vida cristã não pode ser um grande teatro, a morte de Jesus na cruz do calvário teve como objetivo resgatar o homem e traze-lo de volta para Deus. Jesus não morreu para lançar uma moda, um movimento descompromissado com a mudança de vida, pelo contrário a mensagem apregoada foi arrependei-vos pois é chegado o reino dos céus.

Bíblia usada nessa orientação pastoral: Almeida Corrigida e Revisada Fiel

# Faça o que eu mando e não faça o que eu faço – Quando nós aceitamos a Cristo como nosso único e suficiente Salvador seria como se disséssemos, Senhor nós queremos trocar o nosso jeito de viver pelo Seu jeito. Quando cremos e professamos a Jesus nos é dado o direito de sermos chamados filhos de Deus pela fé em Jesus Cristo, logo passamos a ser discípulos de Cristo, ou seja, aquele que imita o Mestre, que aprende e pratica a sua palavra.
Nós agora chamados filhos de Deus temos uma grande responsabilidade para com Deus, com os cristãos e com os não cristãos. A responsabilidade de ser o que a palavra de Deus orienta que sejamos para que o Senhor seja glorificado, e que as pessoas vejam em nós o reflexo de Cristo e assim sejam atraídas para o Senhor.
Não podemos ser cristãos somente na oratória, no púlpito ou ainda no templo, precisamos ser discípulos de Cristo em todo tempo e em todo o lugar. Se de fato Jesus é o nosso Senhor precisamos obedece-lo!

Lucas 6

46 E por que me chamais, Senhor, Senhor, e não fazeis o que eu digo?
47 Qualquer que vem a mim e ouve as minhas palavras, e as observa, eu vos mostrarei a quem é semelhante:
48 É semelhante ao homem que edificou uma casa, e cavou, e abriu bem fundo, e pôs os alicerces sobre a rocha; e, vindo a enchente, bateu com ímpeto a corrente naquela casa, e não a pôde abalar, porque estava fundada sobre a rocha.
49 Mas o que ouve e não pratica é semelhante ao homem que edificou uma casa sobre terra, sem alicerces, na qual bateu com ímpeto a corrente, e logo caiu; e foi grande a ruína daquela casa.

Nós como ministros de Deus precisamos ter a atenção redobrada com a nossa conduta para que não venhamos a desconstruir o que nós mesmos construímos. Há pastores que pregam misericórdia, mas não são misericordiosos, que pregam santidade, mas não se santificam, que pregam obediência e submissão, mas não são obedientes e não se submetem.
Essas atitudes certamente enfraquecerá a sua autoridade e aos poucos as pessoas deixarão de tê-lo como um referencial e por fim não mais o aceitarão como pastor sobre suas vidas. Precisamos refletir sobre os nossos atos para que não percamos o privilégio que é pastorear o rebanho de Deus.
Ame, perdoe, seja misericordioso, santifique, estude a palavra e viva a palavra, seja submisso ao pastor regional e ao pastor nacional para que seus liderados pelo seu exemplo possam dar bons frutos para a glória de Deus e a Igreja de Cristo seja edificada.

Deus abençoe a sua vida e toda a sua casa.

Pastoreio #26
Menu